cintiaQuando o assunto é redução de custos, a Teknisa tem muito a acrescentar. Seus profissionais dominam o assunto, como é o caso de Cíntia Rios, que está na Teknisa há 18 anos. Ela foi diretora comercial e da área de implantação. Depois, se tornou coach de várias áreas, tais como: treinamento, canais e auditoria de projetos. Atualmente, acompanha a área internacional.

De acordo com Cíntia, “tendo como objetivo reduzir os custos, os departamentos mais visados e analisados são os de planejamento e de compras”. Isso porque, conforme ela explica, é neles que se pode conseguir o maior nível de redução de custos, uma vez que nestes setores definem-se os preços que serão praticados dentro da empresa. Logo, é preciso saber comprar, senão, não adianta planejar.

Como observado na prática do mercado, alguns pontos chaves devem ser criteriosamente observados para se comprar bem. É preciso cotar com vários fornecedores, ter definido o volume de compras de acordo com um planejamento, avaliar preço econômico que envolve taxas de entregas, tempo versus juros, impostos, rendimentos e bonificação. “Se a empresa tiver a informação do volume de compras, isso poderá ajudá-la durante a negociação. Os grandes players do mercado conseguem, hoje, condições especiais, já que possuem grande volume de compras. As grandes empresas saem ganhando neste caso, deixando as pequenas rebolarem para armarem estratégias que as façam permanecer no páreo”.

Na cotação, vários produtos de diversas marcas com preços completamente diferentes estão em avaliação. Neste momento, o know-how deve entrar em ação, pois algumas características de certos produtos são relevantes porque interferem na decisão entre um e outro. Nem sempre é o menor preço que deve prevalecer. Por exemplo, certas marcas ou tipos de arroz rendem mais ou menos que o outro, então será coerente optar pelo que traz melhor resultado. No caso de carnes congeladas, analisar a quantidade de água contida nestes produtos após o descongelamento é importante, pois pode ser que se esteja pagando mais não pela carne e sim pelo gelo. Este é o chamado controle de perda após limpeza aplicado às carnes e hortifrutis. Um fornecedor deve ser qualificado, por exemplo, segundo o fator de correção, ou seja, aquele que oferece mercadorias de baixa qualidade deve ser desqualificado. Juntamente a ele, a marca também ficará prejudicada.

Por Comunicação para o Mercado – Teknisa software