alimentação de qualidade em hospitais

Oferecer uma alimentação de qualidade em hospitais não é uma tarefa fácil. As refeições são importantes na rotina dos pacientes, podendo colaborar na recuperação e, por isso, precisam ser manuseadas com cuidados especiais. Algumas pesquisas destacam o quanto a alimentação pode garantir a melhoria dos pacientes e até diminuir o índice de desnutrição hospitalar.

Por estarem em contato com um ambiente de fácil contaminação, como os hospitais, as refeições precisam ter cuidados redobrados na limpeza e higienização de ambientes. Então, como garantir a qualidade da comida e esses cuidados?

Pensando nisso, elaboramos uma lista com 5 dicas para garantir uma alimentação de qualidade em ambiente hospitalar, mantendo a segurança do paciente.

1) Conheça bem a dieta do paciente

Antes de tudo, é preciso saber as restrições e permissões dos pacientes para poder elaborar o cardápio. Também é importante ter um profissional de alimentação visitando esse paciente e conhecendo suas preferências. Isso permite personalizar as refeições dentro das opções de consumo do paciente. Além disso, é preciso estar atento às pessoas com alergias e com restrições alimentares. Um deslize na formulação do cardápio pode ser fatal para o paciente.

2) Invista em uma limpeza de qualidade

Dentro de hospitais, é essencial ter uma correta higienização e limpeza do ambiente. Esse cuidado pode evitar a contaminação e problemas futuros dentro do hospital.

Além de pensar na correta utilização de maquinários e produtos para limpeza, é preciso pensar nos horários desse serviço. Muitas empresas de cozinha industrial fazem uma higienização durante o dia e uma limpeza mais pesada durante a madrugada, horário sem movimento no lugar.

3) Garanta que as refeições vão chegar ao paciente certo

Por fazer refeições personalizadas para cada paciente, é essencial ter uma identificação eficaz. Esse cuidado garante que o prato preparado chegará à pessoa correta. Uma boa forma de fazer isso é produzir etiquetas e fixar aos pratos.

4) Faça acompanhamento de cada paciente

Como dissemos, informações sobre a alimentação de cada paciente é essencial para o cardápio feito. No entanto, é preciso ter esses formulários em um banco de dados seguro, e atualizá-lo com frequência. A medida que o paciente evolui em seu quadro médico, novos alimentos podem ser incrementados em sua dieta para potencializar sua recuperação.

5) Aposte em tecnologias

Atualmente, é muito difícil encontrar uma cozinha profissional que forneça uma alimentação de qualidade em hospitais sem o auxílio de tecnologias. Como o volume de informações é grande, cruzar esses dados com a produção na cozinha pode se tornar uma tarefa quase impossível sem um software de gestão e dietas hospitalares. Eles garantem a praticidade nas refeições, a segurança no serviço de alimentação, entre outras vantagens.