Como a tecnologia pode aperfeiçoar a alimentação hospitalar?

A tecnologia tem sido a principal aliada das empresas que enfrentam desafios em um mercado cada vez mais exigente e competitivo. E, quando falamos de alimentação hospitalar, a realidade não é diferente.

Em um hospital, assim como em qualquer outra empresa, são diversos os setores que necessitam de uma gestão qualificada. E a alimentação hospitalar, naturalmente, é um deles.

Tendo em vista o cuidado com que deve ser preparada a refeição de um paciente, atendendo às suas dietas e restrições alimentares, poder contar com uma ferramenta que torne o controle mais prático e apurado, é essencial para garantir uma entrega mais assertiva e de maior qualidade.

No entanto, caso você esteja se perguntando, existe alguma solução em curto prazo para aprimorar a gestão da alimentação hospitalar?

A resposta é positiva, e iremos falar um pouco mais sobre suas funcionalidades mais abaixo. Continue acompanhando. 🙂

O primeiro passo é investir em tecnologia

É sabido que a tecnologia deve vir para associar dois fatores. A primeira, e mais importante, é a segurança no processo da produção e na entrega das refeições, bem como, em segundo lugar, na otimização da mão de obra.

A mesma lógica também se aplica à alimentação hospitalar. Por isso, estar a par sobre as melhores práticas do mercado pode auxiliar os gestores a aprimorar a performance e a entrega das demandas.

Compreende-se que a dieta de um paciente é tão importante quanto o tratamento médico, sendo um componente essencial para sua recuperação. Por isso, o preparo das refeições exige atenção profissional redobrada.

Vale lembrar que a alimentação hospitalar não se restringe apenas aos pacientes. Também é necessário que os profissionais se atentem aos acompanhantes, proporcionando refeições nutritivas e balanceadas para consumo.

Sendo assim, as empresas devem pensar de que forma é possível trabalhar o processo de forma mais assertiva, garantindo segurança nos preparos das refeições e otimizando a mão de obra.

Mas, com que tipo de ferramenta os gestores podem contar para otimizar essa gestão e evitar transtornos ocasionados por falhas nos processos? Continue acompanhando! 🙂

Um grande aliado às instituições hospitalares

O sistema TecDiet, desenvolvido pela Teknisa, auxilia gestores e colaboradores no controle da alimentação hospitalar. Por meio das funcionalidades trazidas pela ferramenta, é possível:

  • Controlar a produção de refeições e planejamento conforme o orçamento;
  • Visualizar custos da preparação do cardápio individual, contabilizando custos indiretos e seus impactos;
  • Analisar nutrientes e valor calórico de receitas e cardápios;
  • Controlar dietas personalizadas para cada paciente (room service);
  • Gerar relatórios comparativos entre cardápio planejado e realizando, de modo a evitar desperdícios e maximizar custos;
  • Avaliar custos da produção por meio de gráficos e relatórios gerenciais, como: DRO (Demonstrativo de Resultado Operacional), que permite identificar os desvios do planejamento;
  • Gerar verificação automática de restrição e intolerância alimentar; além da interação droga-nutriente no cardápio dos pacientes;
  • Ter acesso às listas de substituições de alimentos de acordo com o estado nutricional do paciente;
  • Haver integração entre a área clínica e produção;
  • Agilizar e modernizar os processos e envio de informações.

Confira um pouco mais sobre o sistema assistindo ao vídeo logo abaixo.

Com tantos benefícios à gestão, optar pela ferramenta TecDiet é uma alternativa que otimiza a gestão como um todo, tornando-a prática, assertiva, além de agregar fatores positivos aos pacientes, aos acompanhantes e à própria equipe.

Por isso, invista em tecnologia para garantir aumento na performance e qualidade no atendimento e/ou entrega de serviços.

Quer saber mais benefícios agregados pelo sistema TecDiet? Entre em contato com um de nossos consultores e fique por dentro!

Curtiu o texto? Não deixe de comentar e compartilhar em suas redes sociais. 🙂

2018-12-07T10:17:44+00:0016 de novembro, 2018|Gestão em Alimentação|

Deixar um comentário

4 × quatro =