Tão importante quanto as cirurgias e os procedimentos que salvam vidas, a alimentação hospitalar vem sendo tratada cada dia com mais seriedade nos centros de saúde. Sendo um dos fatores determinantes na recuperação dos doentes, as refeições são planejadas seguindo as orientações da dieta de cada paciente.

Mas, além de cuidar da nutrição de quem está internado, em tratamento, os hospitais também precisam pensar na alimentação de quem acompanha os enfermos.

Os acompanhantes de parturientes, crianças, idosos e pessoas com deficiência têm o direito à refeição. Embora muitos desconheçam e algumas instituições não cumpram, a lei se aplica tanto para o serviço público quanto para o privado.

Já existe uma mobilização das empresas que fornecem refeições coletivas para esse setor no sentido de atender a demanda dos pacientes da melhor maneira possível. Softwares voltados para o planejamento de cardápio para hospitais auxiliam os nutricionistas que elaboram as dietas seguindo as recomendações médicas.

Através de sistemas, como o TecDiet, é possível controlar a produção, a distribuição e os custos das refeições, tendo como parâmetro as normais nutricionais. Muitos recursos são oferecidos para a elaboração do cardápio levando em consideração a prescrição de cada paciente. Além de calcular o valor calórico também é possível personalizar o cardápio de acordo com o estado nutricional.

Quanto à alimentação dos acompanhantes, também é importante que exista um controle de qualidade com refeições balanceadas. Além do cuidado nutritivo, alguns hospitais estão estudando e investindo na modernização desses processos por meio de aplicativos, por exemplo, que permitem que sejam cadastradas as opções diárias dos cardápios, com possibilidade de alterações e observações.

Dessa forma, evitam-se os possíveis erros nos pratos e facilita no sentido do cadastramento virtual. O nome do acompanhante, o número do quarto e do leito já ficam registrados e, assim, as refeições são elaboradas e entregues sem complicações.

O avanço da tecnologia afeta os mais variados setores e já alcançou o público hospitalar. Ir além da prestação dos serviços e garantir a melhor experiência do cliente, principalmente em situações que envolvem pessoas com a saúde e com o emocional debilitados pode ser um diferencial determinante para a consolidação dos centros hospitalares.