O grande fluxo de clientes que movimentam as compras no período de fim de ano é uma oportunidade para as empresas obterem lucro. Principalmente sob o efeito da crise, as compras devem ser feitas de acordo com um planejamento que avalie a movimentação de estoque e garanta que apenas os produtos necessários, com base na demanda, sejam adquiridos.

Deve-se ficar atento à quantidade de mercadorias no estoque para que na hora da venda não haja problemas, como a falta de produtos. Com uma análise dos dados de compras anteriores, por exemplo, datas de entrega e prazos de validade, a empresa pode garantir as melhores condições de compra.

Reduzir os gastos de compras pode tornar os lucros ainda maiores. Ao comparar os dados com diversas variáveis que interferem no preço, tais como o rendimento de produtos, prazos, pedidos e preços de fornecedores, fica fácil tomar a decisão mais rentável para sua empresa e qualificar os fornecedores. Melhorar a negociação com os fornecedores e os qualificar observando os relatórios gerenciais de todo volume de compras da empresa influencia diretamente na redução dos preços.

Falta de estoque quando tem alta demanda é problema grave

Quando a empresa não reconhece um desfalque em seu estoque e as vendas continuam sendo efetuadas, é preciso cancelar os pedidos após a compra ser efetuada. Para o cliente, isso é um transtorno que pode redefinir o relacionamento que ele tem com a sua marca. Um exemplo desse inconveniente é o Black Friday no Brasil. Em 2016, a taxa de queixas por produto cancelado foi de 35,6%. Para solucionar parte dessas reclamações é essencial ter um controle adequado dos estoques e das compras. Ao manter apenas aqueles fornecedores que trazem o retorno esperado quanto às entregas, bem como os que cumprem os valores negociados (bloqueando-os quando houver divergência, pode-se garantir o alcance da meta orçamentária.

Aumente a competitividade e a redução de custos no processo de estocagem

Buscar melhorias em gestão através de inovações e ferramentas que contribuam para a realização das operações dos estoques, permite a uma organização a mensurar seu desempenho e analisar a possibilidade de economizarem armazenagem. Como este é um investimento financeiro, a gestão de estoques deve ser realizada com eficiência no que se refere a inventários de seus armazéns, focando na redução de custos totais, utilizando parâmetros especiais para cálculo de quantidades, de deslocamentos de recursos, de armazenagem e de distribuição, bem como determinação de pontos de ressuprimentos (PR) e formação de preços de venda sugeridos para produto acabado.

Através da integração com a solução Compras da Pebbian e a partir de um orçamento financeiro, os fornecimentos são efetuados de maneira planejada e automática, inclusive com a possibilidade de confrontação de quais mercadorias foram pedidas com quais foram recebidas.

Com um bom software em mãos, controlar as retiradas dos diversos tipos e divisões de estoques, sejam eles de matéria-prima ou de produtos semi acabados e acabados, podem ser feitos com agilidade e assertividade, utilizando sistemas como o MRP – Manufacturing Resource Planning -, Estoque Cego e o Estoque Rotativo. Ao usufruir os vários tipos de controles existentes nessas ferramentas, a empresa obtém diversos benefícios desde a confrontação entre o estoque físico e o virtual até o apontamento automático dos desvios e a má aplicação dos recursos.

Conheça a solução Teknisa que integra seus processos e otimiza seus controles.
Fale com um de nossos consultores que iremos auxiliá-lo a tomar uma decisão de forma fácil, estratégica e com muito potencial para escalabilidade.

Escrito por Comunicação para o Mercado

Divulgação do know how da Teknisa aliado às tendências do mercado, abordando temas de relevância tecnológica e empresarial.

Ver todos artigos do autor