Curva ABC: ferramenta para acabar com o “amadorismo” na gestão do seu estoque!

Você já ouviu o termo Curva ABC?

Realizar um controle apurado do estoque é um dos grandes desafios que os gestores de estabelecimentos de food service enfrentam. Muitas empresas, inclusive, não utilizam ferramentas que otimizam a logística do armazenamento dos produtos, tornando o processo menos assertivo.

Você sabia que, segundo estudos realizados pela Associação Brasileira de Supermercados apresentada na Convenção ABRAS 2017, as perdas do varejo brasileiro representam 2,10% da faturamento bruto? As causas se dão, principalmente, devido a vencimentos ocasionados por gestões não alinhadas ou mal executadas por gestores.

Ou seja, a problemática está diretamente relacionada a uma gestão de estoque mal planejada e/ou executada. No entanto, como lidar com este panorama?

Já sabemos que a adoção de um software ERP para a integração dos processos em uma empresa é essencial para a otimização de resultados. Porém, se o sistema não for devidamente programado e compreendido pelos gestores, seu uso será ineficaz.

Por isso, antes de se aderir à tecnologia, é necessário compreender suas funcionalidades e até onde ela é capaz de auxiliar a organização.

Acompanhe o relato do coordenador comercial da Teknisa, Anderson Miranda, que nos conta um pouco sobre uma visita realizada em uma distribuidora de alimentos. Por meio do contato realizado, foi possível ressaltar as lacunas e pontos de melhoria da empresa em questão. Questões essas que podem ser solucionadas a partir da tecnologia desenvolvida por nossa equipe. Vamos nessa? 🙂

Controle apurado do estoque: desafio frequente às empresas

“Estive em Porto Alegre acompanhando a nossa equipe comercial e visitamos um distribuidor de alimentos. A organização em questão estava em busca de um ERP mais robusto, totalmente integrado a todos os setores da empresa, com soluções mobile de força de vendas para seus representantes e vendedores externos.
O software atualmente utilizado por seus colaboradores não está atendendo mais às diversas demandas.

Antes de qualquer apresentação sistêmica da equipe comercial da Teknisa, solicitei ao cliente para visitarmos todas as áreas da empresa com o objetivo de compreendermos como são realizadas as operações; além de conversarmos com os usuários para identificarmos as ‘dores’ de cada um.

Um dos pontos que mais nos chamou a atenção foi quando visitamos o setor de estoque. Um volume muito alto de produtos estocados e alguns itens em grandes quantidades parados nas prateleiras.

Fizemos o questionamento ao gestor da empresa, se havia a necessidade real de ter esta quantidade de produtos ‘parados’ no estoque, se o giro de mercadorias era alto, etc. O profissional nos informou que o grande problema que ele gostaria de solucionar era exatamente a gestão do seu estoque e precisava de uma ferramenta para auxiliá-lo.

Procurei entender melhor qual era o ‘verdadeiro’ problema, de forma mais explícita. O gestor me confidenciou que havia muito desperdício. Produtos comprados em grandes quantidades sem necessidade, descarte de produtos vencidos, além da desconfiança de roubo. Tampouco não havia um planejamento adequado para se comprar as mercadorias.

Controles como cálculo do ponto de pedidos e níveis de estoque mínimo sequer eram determinados pelo ERP utilizado; além de outros tradicionais em gestão de estoque como Curva ABC, por exemplo”.

A Curva ABC como solução dos problemas com o estoque

“Por falar em Curva ABC, podemos defini-la enquanto funcionalidade bastante utilizada pelos nossos clientes por meio do nosso ERP. A ferramenta auxilia na classificação e controle mais apurado dos produtos em estoque de acordo com a sua importância relativa (Princípio de Pareto), onde 80% do capital investido no estoque está concentrado em 20% dos itens. É um controle extremamente útil para gerenciar os produtos sem aumentar custos.

A curva ABC pode ser usada para outros controles da empresa, como para identificar os melhores clientes, os fornecedores mais importantes, entre muitos outros.

O método de classificação utilizado por algumas empresas segue a metodologia abaixo, lembrando que isto não é uma regra, pois já foram encontradas diversas outras com percentuais diferentes. Veja:

  • Classe A: de maior importância, valor ou quantidade, correspondendo a 20% de sua totalidade;
  • Classe B: com importância, quantidade ou valor intermediário, correspondendo a 30% de sua totalização;
  • Classe C: com menos importância, valor ou quantidade, correspondendo a 50% de sua totalidade.

Por isso, sugerimos ao gestor que priorizasse fazer um giro maior dos produtos que têm maior lucratividade e, com isso, melhorar seus canais de compras destas mercadorias, buscando mais diversidade de fornecedores destes itens e fortalecendo a logística interna na empresa.

Para itens de menor giro e margem, não há necessidade deste esforço de melhoria; podendo até mesmo identificar os produtos de pior classificação para eliminá-los. No entanto, sem um software que realize este tipo de controle, esta gestão pode estar comprometida, ainda mais se o cliente possui uma quantidade imensa de mercadorias em seu estoque”.

Invista em soluções inteligentes e estratégicas!

Em síntese, com a utilização da Curva ABC, será muito mais fácil o gerenciamento do estoque. Mas, para isso, é importante conhecer outras variáveis deste conceito e identificar qual a melhor para o seu tipo de negócio e produto. Fica a dica!

Gostaria de saber mais sobre essa funcionalidade disposta pelo software ERP da Teknisa? Não deixe de entrar em contato com um dos nossos consultores. A equipe encontra-se apta a esclarecer suas dúvidas e bater um papo sem compromisso.

O que achou do texto? Não deixe de comentar e compartilhar em suas redes sociais! 🙂

2018-09-05T17:25:32+00:005 de setembro, 2018|Não categorizado|

Deixar um comentário

um × três =