Teknisa://Como o mercado de food service deve se posicionar atualmente?

Como o mercado de food service deve se posicionar atualmente?

Muito se especula sobre os próximos passos do mercado de food service. Seja em nível nacional, ou até mundialmente, compreender as tendências é um objetivo primordial aos gestores da área.

Entretanto, estar a par das demandas atuais deste mercado consiste em um grande desafio. Até porque o entendimento envolve fatores como questões sociais e de comportamento dos consumidores.

Alguns panoramas podem orientar os gestores nas direções em que caminha o mercado de food service. Mas, afinal, o que está sendo demandado? Para onde as tendências estão projetadas? E, enquanto gestor(a) de um estabelecimento de alimentação fora do lar, quais posicionamentos devem ser adotados? Sobretudo para garantir a longevidade do negócio?

Acompanhe o nosso post e fique por dentro! 🙂

Atente-se a quem consome no mercado de food service

De uma coisa sabemos: os consumidores estão mais exigentes. Prova disso são alguns dados que nos revelam um pouco mais sobre o comportamento dos mesmos no atual contexto.

Você sabia que 58% dos consumidores nunca mais utilizam os serviços de uma empresa depois de uma experiência negativa? E que 26% dos consumidores postam um comentário negativo em redes sociais, como Facebook ou Twitter, após um atendimento ruim? Interessante, certo?

Enquanto gestores, é imprescindível compreender algumas estratégias para atender às expectativas dos consumidores, evitando transtornos por meio de experiências ruins.

Partindo desse pressuposto, é essencial entender o que o público tem demandado, principalmente quando falamos de alimentação fora do lar. Proporcionar uma experiência positiva aos consumidores, e ouvi-los, é um posicionamento relevante que as empresas devem adotar.

A preocupação com o consumo saudável é real

A exigência do consumidor também contempla o processo de pré-venda, ou seja, que antecede a compra. Atualmente, lidamos com um cenário em que os indivíduos pesquisam sobre o produto ou serviço oferecido para saber da reputação de uma empresa.

O mesmo raciocínio se aplica quando dialogamos sobre a qualidade das mercadorias para consumo. É o caso da crescente demanda por informações de valores nutricionais, por exemplo.

Em 2016, uma pesquisa realizada pela Qualibest revelou que 74% dos entrevistados declaram checar as informações nutricionais nos rótulos antes de adquiri-los.

Segundo o estudo, a preocupação está direcionada principalmente com a quantidade de sódio e gordura trans nos alimentos.

Além disso, de acordo com o Instituto Datafolha, no ano de 2016, 56% dos estabelecimentos food service do país perceberam o aumento no interesse de consumo de alimentos saudáveis por parte dos seus clientes. E a porcentagem é crescente.

Tomando esses dados como base, percebe-se que o mercado de food service está inclinado a lidar com consumidores mais preocupados com uma alimentação mais saudável.

Dessa forma, reposicionar algumas estratégias e investir em cardápios mais balanceados consistem em posicionamentos inteligentes que os gestores podem adotar.

Sustentabilidade em foco

A sustentabilidade permanece como uma das principais tendências do mercado de alimentação fora do lar. E, a cada dia, a causa ganha ainda mais relevância em nível mundial.

De acordo com a pesquisa realizada pela Nielsen Holdings, em 2017, foi verificado que, no Brasil, 74% dos consumidores optam pela compra de produtos ou contratação de serviços de companhias que investem em programas de sustentabilidade.

O dado é interessante, sobretudo aos gestores de estabelecimentos de alimentação fora do lar.

Trabalhada principalmente pelas indústrias por meio de produções que reduzem os impactos ambientais, os estabelecimentos food service estão se posicionando para suprir tanto as necessidades ecológicas quanto as de consumo.

Dessa forma, os gestores têm lidado com esta questão direcionando sua estratégia para a otimização dos processos e no uso correto das matérias-primas.

Vale lembrar que evitar o desperdício também é ser sustentável. Ou seja, a sustentabilidade também é um posicionamento estratégico e que chama a atenção de seus clientes e potenciais consumidores.

E como lidar com o plástico?

Ainda falando sobre sustentabilidade, é interessante dialogarmos sobre um adendo importante: o plástico e outros materiais que revestem os produtos.

Em visita à feira Alimentec 2018, — uma das maiores feiras de alimentação e tecnologia da América Latina — que se deu entre os dias 4 e 8 de junho, em Bogotá, tomamos conhecimento sobre algumas questões mundiais mais proeminentes.

A preocupação com os materiais das embalagens que revestem os produtos comercializados tem chamado a atenção dos gestores, que buscam por opções mais ecológicas e que asseguram a qualidade da mercadoria entregue ao consumidor.

O plástico, principalmente, torna a assumir seu papel como material polêmico e de destaque. Dessa forma, muitos gestores estão investido em estratégias para reduzir seu uso, além de optar por ações que tornem seu descarte menos nocivo ao meio ambiente.

Portanto, dar preferência a marcas atentas ao viés ecológico, e que fazem uso de materiais biodegradáveis também evidencia interesse por parte dos gestores em lidar com a questão ambiental. Uma imposição de extrema importância principalmente na visão dos consumidores.

Afinal, como os gestores devem se posicionar?

Atentar-se quanto às demandas em nível de mercado é de suma importância para a longevidade do seu estabelecimento food service. Acompanhar as tendências e comportamento do público é capaz de revelar muito sobre para qual sentido este cenário está caminhando.

Portanto, adotar um posicionamento que condiz com as expectativas do mercado garante, não apenas uma posição de destaque, como também um diferencial frente à concorrência.

O que você achou? Acredita que o mercado está caminhando para outros trajetos ainda inexplorados? Não deixe de comentar abaixo. 🙂

2018-07-16T12:28:06+00:0011 de julho, 2018|Notícias|

Deixar um comentário