Muito se discute sobre o cenário industrial e suas inúmeras vertentes. Questiona-se, sobretudo, se existe alguma solução efetiva que garanta a excelência na logística aplicada nas indústrias. Em tese, a produção em pequena ou larga escala, exige que cada aresta que as compõem se encontre em harmonia. Dessa forma, elementos como mão de obra, materiais, e insumo, por exemplo, devem estar em completa sinergia. Assim, é possível garantir assertividade nos resultados, balanceando a equação entre qualidade e tempo de produção. Contudo, mais importante que manter as engrenagens em funcionamento, é acompanhá-las para garantir sua execução e constantes desdobramentos. Estamos falando de rastreabilidade?

Com o progressivo avanço tecnológico, diversas ferramentas foram desenvolvidas visando suprir as demandas – e lacunas — do mercado.  Plataformas e softwares criados para atender aos inúmeros segmentos, a incluir o setor industrial, têm auxiliado as empresas a cumprir com o seu papel. Apesar da possível resistência enfrentada por alguns gestores, a adoção das ferramentas se prova como uma medida, não apenas vantajosa, como necessária. E, no caso do segmento referente às indústrias alimentícias, o raciocínio não é diferente. Coordenadores têm optado por softwares que garantem uma gestão mais efetiva. O que influencia diretamente na produção e, consequentemente, na lucratividade do setor.

Partindo desse pressuposto, vamos imaginar o seguinte cenário: uma indústria de alimentos e/ou bebidas, que produz em tempo X, mas não possui o devido controle sobre o seu fluxo. Tampouco faz uso de uma logística eficaz, ou não possui acesso ao histórico de cada etapa de produção. Diante da situação, o que seria interessante para o gestor ter em mente? O ideal seria uma ferramenta que lhe garanta o controle das operações, certo?. Dessa forma, qualquer variável no fluxo de produção será percebida, garantindo mais segurança ao processo.

Rastreabilidade: você pode não conhecê-la, mas precisa dela  

O conceito de rastreabilidade surge como um termo que designa a capacidade de poder rastrear um objeto. Em outras palavras, é poder identificar a localização de um produto, seus componentes, ou serviço, nas etapas da produção. A rastreabilidade viabiliza o acesso ao histórico da mercadoria, por exemplo, tornando o controle ainda mais apurado. Assim, evita-se a perda de informações sobre aquele produto em específico, assegurando ainda mais a procedência e segurança aos consumidores. Por exemplo, uma indústria que opta pelo método da rastreabilidade, consegue encontrar uma mercadoria X. De e em qualquer local.

Para gestores que trabalham com grandes estoques, a opção se faz de grande utilidade. O uso da rastreabilidade evita a perda do produto por validade, que ocasiona prejuízo às empresas como um todo. Além disso, a identificação também possibilita a consulta dos dados de procedência da mercadoria, como país de origem, componentes ou tipo de material, por exemplo.
Também é possível ter acesso ao local cujo produto será enviado, seja para estabelecimentos comerciais ou alimentícios. Vale ressaltar que a identificação é feita por meio de um código, que facilita a busca. O código de barras é um exemplo da aplicação da rastreabilidade.

Diante da constante necessidade, as empresas e indústrias têm optado por adotar tecnologias que englobam o fluxo de rastreio em questão. A utilização do software garante que a otimização do processo de rastreabilidade aconteça com mais eficácia. Ademais, as indústrias alimentícias visam a redução de custos e aumento da eficiência do estoque, que podem ser viabilizados pela ferramenta online. Uma vez em uso, a plataforma digital permitirá uma gestão mais assertiva, que influenciará diretamente na produção de mercadorias ou serviços, e, consequentemente, na lucratividade da empresa.

Homem com um tablet na mão


Conclusão

Em suma, a adoção de tecnologias que facilitem o controle da rastreabilidade é uma opção obrigatória aos gestores. Sua utilização surtirá o devido efeito em todas as etapas de produção, garantindo a efetividade da logística. Além disso, é importante ressaltar que, conforme previsto nos artigos 5º e 6º da Resolução-RDC nº. 24/2015 da Anvisa, a rastreabilidade deve ser garantida em todas as etapas da cadeia produtiva, cabendo às empresas manter registros de identificação em seus respectivos produtos.
Dito isso, é importante não apenas a adoção de um software que coordene a gestão do fluxo de produção, como também optar por uma ferramenta com expertise no mercado. Busque por boas referências de sistemas online de gestão de rastreabilidade e desfrute de benefícios. A incluir o aumento de sua produção e faturamento.

E você, o que achou do conceito da rastreabilidade? Acredita que é um investimento em curto ou longo prazo? Pensa que é uma ferramenta indispensável às empresas e indústrias? Não deixe de opinar! 🙂