Muitas empresas utilizam o processo da pesquisa de satisfação para avaliar se as refeições que fornecem agradam aos clientes. As informações obtidas por meio dessas pesquisas podem ser aplicadas de diversas maneiras, interna e externamente. Por exemplo, se todo dia as avaliações estão abaixo da meta, a solução pode ser investir em treinamento da equipe de produção ou chamar uma consultoria para reavaliar o cardápio. Algumas companhias ou franqueadores até mesmo fixam as pesquisas em contrato ao terceirizar os negócios ou serviços de alimentação quando estipulam metas, por exemplo, de que a satisfação tem que estar sempre acima de 80%. Quando isso não acontece, entra em vigor a sansão prevista na cláusula contratual.

Existem várias formas de fazer as pesquisas de satisfação, desde os modelos mais arcaicos como as planilhas em papel, aos mais modernos como painéis nos quais os usuários podem, com um clique, dizer se acharam a comida ou o serviço muito bom ou ruim. O problema desses tipos de mecanismos é que os dados da avaliação dos clientes passam pelas mãos de funcionários antes de chegar à matriz. Eles são recolhidos, planilhados e, só depois disso, enviados. Além de ser um processo demorado, pode também gerar desconfiança em relação à informação, que pode ser desviada ou manipulada.

Para evitar que esse tipo de situação aconteça, há no mercado sistemas que conectam a avaliação realizada diretamente à base de dados da matriz, isto é, fazem todo o processo de forma automatizada. Nesses sistemas, é possível que a diretoria programe determinada avaliação por meio da parametrização do software, que é imediatamente disponibilizada para todos os seus restaurantes sem a necessidade de visitar um por um ou trocar o equipamento em todos. Agilidade e qualidade da informação são algumas das vantagens — se a refeição for servida, por exemplo, ao meio-dia, cerca de 30 minutos depois já seria possível saber a avaliação geral. Além disso, de forma simples, é permitido mudar o tipo de enquete, que pode abranger tudo relacionado ao restaurante, desde a qualidade e rapidez do atendimento ao tamanho da fila.

Para resumir, as pesquisas de satisfação geram os seguintes benefícios: a possibilidade de traçar um perfil dos usuários do restaurante ou loja através da avaliação dos produtos que gostam mais ou menos, e a partir de então tentar acertar mais; de identificar problemas e de promover melhorias. E poder fazer isso aliado à tecnologia é ainda melhor.