Com o retorno gradual das atividades comerciais e industriais, os restaurantes corporativos devem se preparar para o ‘novo normal’ retomar suas atividades com uma nova preocupação: garantir a saúde, preservar a comodidade e conquistar a confiança de seus clientes. Tudo isso sem esquecer do lucro!

Confira a seguir quais são as novas tendências dos restaurantes corporativos e como elas devem ser implementadas no seu negócio para que ele mantenha o ‘fogão aceso’, mesmo encarando as restrições do ‘novo normal’.

O que mudou no varejo de food service na nova estrutura pós pandemia e que podemos aplicar aos restaurantes corporativos?

Segundo a pesquisa da Galunion (2020) – Consultoria especializada em food service, dentre os 79% dos entrevistados que planejam comer fora, eles pretendem:

  • 49% Comer no próprio local: mesa do salão do restaurante ou na praça da alimentação, balcão, etc;
  • 27% Retirar a comida e comer em outro lugar (no trabalho, em casa, etc.);
  • 12% Receber a comida no local definido pelo próprio consumidor – na porta do restaurante, entregue no carro (seja na calçada ou estacionamento) entre outros;
  • 12% Passar no drive thru para retirar a comida.

Na mesma pesquisa, a Galunion perguntou a seus entrevistados, caso eles pudessem expor um desejo diretamente aos donos dos restaurantes, qual seria este pedido. As respostas mais populares foram:

  • 30% “Não sacrifique a qualidade dos produtos”;
  • 26% “Invente pratos mais baratos e gostosos (35% dentre os entrevistados da classe C)”;
  • 18% “Crie maneiras de me atender dentro de casa com comida de restaurante”.

Dentre outros pedidos, a Galunion destacou também:

  • “Mantenha qualidade no atendimento, seja delivery ou presencial”,
  • “Ampliem o sistema pague e leve”,
  • “Optem por embalagens que não gerem tanto lixo. Repensar, reduzir, reutilizar, reciclar”,
  • “Ofereça comida saborosa e com ingredientes naturais”,
  • “Invista em tecnologia para que eu faça meu pedido sem a necessidade de um garçom”.

Pelos números expostos na pesquisa, fica claro que a nova realidade do mundo pós pandemia exigirá dos estabelecimentos, sejam eles comerciais ou corporativos, novas estratégias onde o uso da tecnologia será o carro-chefe para o negócio. Atender a tantas exigências dos consumidores só mesmo com a tecnologia voltada para os trâmites do food service será possível.

A reinvenção dos restaurantes corporativos

Segundo pesquisa realizada pela Sebrae (2020), o número de pessoas que comeram fora de casa durante os meses da pandemia do COVID-19 teve uma brusca redução, se comparado aos mesmos meses do ano anterior (2019).

Consequentemente, o faturamento deste negócio também sofreu uma queda. Contudo, há um lado otimista, no qual existe uma perspectiva de recuperação até o final do ano, podendo chegar à números parecidos aos dos meses correspondentes ao ano anterior (SEBRAE, 2020).

O setor de alimentação fora do lar é fundamental no dia a dia do brasileiro e para a economia do país. Gera milhões de empregos em cerca de 1,4 milhão de negócios e corresponde a 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, com um faturamento de 176 bilhões de Reais em 2018. No entanto, no contexto da pandemia COVID-19 tem se mostrado um dos segmentos mais impactados (SEBRAE, 2020).

O food service, que segundo a Época Negócios, fechou o ano de 2019 com alta de 7%  no faturamento, de R$ 699,9 bi, foi um dos setores de alimentação fora do lar que mais se mostrou prejudicado pela pandemia de 2020.

A perda de contratos, a diminuição de comensais devido às demissões em massa e à adoção do home office nas empresas contratantes foram os principais fatores prejudiciais às empresas de serviços de alimentação.

Naturalmente, isso contribui para a diminuição no volume de refeições fornecidos nas empresas pelos restaurantes corporativos. Como consequência, esses negócios estão passando por um momento no qual se reinventar é uma necessidade. Além da busca por novos canais para o aumento do faturamento é preciso se adequar a uma série de restrições e mudanças no comportamento de funcionários e clientes e do ambiente onde ocorrem as refeições.

Questões como distanciamento social, segurança de alimentação e gestão de produção para evitar contaminações chegam junto com o ‘novo normal’ e pedem uma nova postura das empresas de restaurantes corporativos.

A tecnologia vem como meio de adequação aos três fatores: distanciamento social, segurança de alimentação e gestão de produção para evitar contaminações.

Como a tecnologia pode contribuir para que os restaurantes corporativos se reinventem?

A resposta é simples: o delivery aliado a um cardápio digital.

Com a utilização de um cardápio digital, o funcionário de uma empresa contratante de serviços de alimentação terceirizada, na sua própria estação de trabalho, poderá utilizar um APP ou QR Code disponibilizado individualmente para que ele possa ter acesso ao cardápio do restaurante corporativo, podendo assim, realizar sua escolhas e pedir suas refeições. Além de poder contratar serviços extras ao contrato estabelecido com a prestadora.

Por exemplo: imagine poder aumentar o seu faturamento oferecendo uma estação de comida japonesa, pizzas e sobremesas para que o cliente final possa, além de aproveitar o que a empresa está oferecendo, comprar um item a mais.

Tecnologia aliada aos restaurantes corporativos

Além de oferecer novas experiências, diminuir a evasão de comensais que “enjoam da comida tradicional” você, gestor de uma empresa de refeições coletivas, ainda cria um novo canal de vendas!

Desta forma, os restaurantes corporativos poderão aumentar seu faturamento e os consumidores terão sua devida agilidade, somada à comodidade de pedir em um restaurante que está dentro da própria empresa em que trabalha, além de proporcionar novas experiências, conforto e confiança de já conhecer o restaurante. O consumidor já saberá quais serão as medidas preventivas e de higiene que serão tomadas.

Vantagens das inovações tecnologia no ‘novo normal’ para os restaurantes corporativos

Na maioria das vezes, os restaurantes corporativos têm um contrato para fornecer “apenas” o almoço e o jantar aos trabalhadores de determinada empresa ou indústria. Pensando em um maior faturamento por parte das concessionárias de alimentação e em um maior número de opções para os comensais, por que não também fornecer e dar a opção de um coffee-break, lanche, uma sobremesa ou outros serviços adicionais, por exemplo? Isso seguindo as mesmas regras citadas no subtítulo anterior.

Mais uma opção interessante para aumentar o faturamento dos restaurantes corporativos, e ao mesmo tempo dar algo novo ao consumidor, é a implementação de um canal take away (pegue e leve), que também é uma tendência do ‘novo normal’. Neste canal, os consumidores terão a opção de poder levar um prato pronto e congelado para sua residência, para que eles também tenham a comodidade de fazer a última refeição do dia sem ter que sair de casa, evitando preocupações.

Como em um restaurante corporativo são muitos consumidores buscando o serviço ao mesmo tempo, um cardápio digital será uma boa estratégia para agilizar o processo, a fim de que o consumidor, a partir de sua estação de trabalho, possa visualizar quais são suas opções de serviços do dia (pratos disponíveis, opção de montar o próprio prato, serviços extras, etc.).

O comportamento do consumidores mudou, agora todos nós estamos mais preocupados com o saudável, com a origem dos ingredientes que fazem parte de nossas refeições.

Pensando nessa preocupação das pessoas em manter uma vida saudável e tendo na principal fonte disso a alimentação, o cardápio digital se mostra uma forte tendência. Refeições saudáveis aumentam a imunidade e mantêm a saúde das pessoas, algo de extrema importância, principalmente no ‘novo normal’.

A partir do momento que o cliente faz sua escolha ou monte seu próprio prato, ela já vai ter informações nutricionais. Uma experiência diferente e rica para o novo consumidor, que está cada vez mais interessado do que está comendo.

Este cardápio, criado com o auxílio da tecnologia, vai contar com as informações nutricionais das refeições e dos alimentos, como o valor calórico, valor proteico, a quantidade e variedade de vitaminas, entre outros. Dessa forma, o cliente também poderá escolher o que quer excluir ou adicionar em suas refeições.

Neste modelo, outra vantagem, tanto para o cliente quanto para o restaurante corporativo, é que o cliente poderá visualizar outros itens que não estão presentes no contrato (como um suco ou uma sobremesa). Por este meio, o consumidor selecionará o que deseja, realizará sua compra adicional, e fará seu pagamento online, da forma que achar melhor.

Novos processos para diminuir os desperdícios e aumentar o lucro dos restaurantes corporativos quando o assunto é segurança alimentar

De acordo com uma tabela elaborada pela Associação Médica do Texas (2020), nos Estados Unidos, o grau de risco de comer em um self service é alto.

Tendo isto em conta, as regras de segurança sanitária são muito importantes no ‘novo normal’ para os restaurantes comerciais.

Já nos caso dos restaurantes corporativos, por conta da pandemia, é importante que eles organizem os turnos dos clientes, desta forma, controlando o fluxo de pessoas dentro de um restaurante, que deve funcionar com um distanciamento de mesas, culminando na diminuição do número de lugares disponíveis para realizar as refeições.

Também é importante lembrar que segundo as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os restaurantes comerciais e restaurantes corporativos deverão contar com serviços de limpeza, higienização e desinfecção de ambientes, que deverão ser realizados com os procedimentos adequados e com os produtos regularizados, contando ainda com os equipamentos de proteção necessários para todos os funcionários e consumidores.

Com a adoção de tecnologias que vão facilitar o dia a dia da empresa, dos colaboradores e da cozinha, como o EatSafe, também é possível evitar o desperdício. Sabendo quais são os alimentos que o consumidor escolheu, ele evitará o desperdício de comida, evitando também o desperdício de investimento do restaurante corporativo e, desta forma, como consequência direta, aumentará o lucro.

Cardápio digital e aplicativo próprio de delivery

Nesse modelo do EatSafe, após o pedido, os funcionários do restaurante vão montar a bandeja do cliente de acordo com as escolhas do prato e dos adicionais. O profissional da empresa (cliente do restaurante corporativo) receberá sua bandeja com todos os itens para realizar sua refeição onde desejar.

Caso o funcionário da empresa não possa utilizar o celular para fazer tudo isso, seria interessante distribuir totens de autoatendimento na entrada do refeitório ou na entrada da empresa para que o funcionário faça seu pedido

Essa uma boa forma de trabalhar, de aumentar o lucro e de vender itens adicionais na nova realidade, durante/pós pandemia.

No mundo atual, é extremamente necessário relacionar e estabelecer como será a venda, a produção e a entrega. As empresas de refeições corporativas devem investir em novos processos para reduzir desperdícios.

Conheça o EatSafe, uma solução para os restaurantes corporativos se adaptarem ao ‘novo normal’

Agora que já sabemos que no ‘novo normal’ os restaurantes corporativos, além de precisarem garantir a qualidade do serviço e das refeições, deverão também assegurar a higienização e segurança sanitária para seus clientes. Pensando nisso, e com a capacidade de auxiliar os restaurantes corporativos em todas as novas necessidades e tendências do varejo, a Teknisa desenvolveu uma nova solução: o EatSafe!

Com o EatSafe, funcionários que consomem suas refeições em restaurantes corporativos podem fazer pedidos em seus próprios smartphones ou em totens de autoatendimento.

No EatSafe, o funcionário pode escolher o que ele deseja comer e beber no cardápio do dia e o pedido é recebido imediatamente pela cozinha, que passa a produzir de forma cadenciada, alinhando a produção com o consumo dos clientes.

E não é só isso. A retirada do pedido também é agendada pelo Eatsafe, que oferece opções de horário para consumo nas mesas, entrega na estação de trabalho ou até mesmo reservar refeições para retirar e levar para casa ou para consumir onde quiser.

Terminal de autoatendimento TAA

Esta é uma estratégia que contribui diretamente com a redução da contaminação e garante o funcionamento dos restaurantes durante as medidas restritivas.

Outras estratégias e novas tendências do varejo que foram citadas no textos estão sendo adotadas, como a opção dos clientes comprarem itens adicionais aos cardápios, ou mesmo refeições e produtos além daqueles disponibilizados nos serviços tradicionais, como pratos congelados, kits saladas, lanches e toda uma gama de produtos de conveniência. Ideal para aumentar as vendas dentro dos clientes e oferecer um serviço diferenciado para os consumidores.

Disponibilizar aplicativos e totens para autoatendimento nas empresas que seu restaurante corporativo atende traz vários benefícios, como fidelizar o cliente pela qualidade do serviço, prever a ocupação ideal do refeitório, oferecer mais segurança aos comensais, cumprir as regras de segurança sanitária, produzir refeições com mais assertividade, reduzir sobras de comidas e desperdícios e, claro, gerar mais lucro.

Confira algumas soluções para ‘novo normal’ que o EatSafe da Teknisa proporciona:

Aplicativos e Autoatendimento para restaurantes corporativos

  • Agendar e escolher a refeição do dia posterior;
  • Escolher os tipos de pratos, as porções, os tamanhos etc.;
  • Receber os alimentos onde estiverem na empresa;
  • Levar refeições para casa (To Go);
  • Reduzir o contato com outras pessoas ao máximo;
  • Aumentar a segurança higiênica dos alimentos a serem consumidos.

Por que implantar a solução de autoatendimento em seus refeitórios?

  • Produzir as refeições por demanda e na quantidade certa;
  • Aumentar o faturamento com a venda de refeições e lanches;
  • Produzir baseado no histórico de consumo;
  • Aumentar a satisfação dos consumidores pela qualidade e segurança alimentar;
  • Aumentar a segurança dos comensais;
  • Aplicar as regras sanitárias e garantir o seu cumprimento;
  • Produzir na medida certa, reduzindo as sobras de alimentos;
  • Garantir um número seguro de pessoas no refeitório.

Por que os usuários vão aderir ao uso do APP ou do Totem de atendimento em refeitórios corporativos?

  • Diminuição do contato pessoal e das filas;
  • Maior rendimento no período de refeição;
  • O cliente receberá sua refeição já pronta;
  • Receber a refeição onde o cliente preferir;
  • Agendamento de horário;
  • Evitar que a comida esfrie;
  • Cálculo exato da quantidade de comida disponível;
  • Escolha detalhada do que o cliente quer comer;
  • Variedade nos tipos de refeição;
  • Opção de levar uma refeição pronta para a casa (To Go).

Conclusão

Os desafios que temos pela frente não são poucos e nem pequenos, porém, como verificado, o uso da tecnologia se mostra um grande aliado nesta etapa de reinvenção e adaptação ao ‘novo normal’, por parte dos restaurantes corporativos.

Nem todas as restrições do pós pandemia vão ter um impacto negativo no ramo dos restaurantes corporativos. Foi provado que, com o uso da tecnologia, é possível reverter estas restrições e até mesmo transformá-las em um maior lucro para as empresas.

Diversas medidas e tendências do varejo foram citadas e avaliadas ao longo do texto, e como dito, o EatSafe, novo APP/QR Code da Teknisa, vem ao mercado para auxiliar aos empreendedores de restaurantes corporativos com as melhores soluções disponíveis.

Os futuros usuários do aplicativo poderão usufruir de diversas vantagens, como por exemplo:

  • Refeições entregues na estação de trabalho do cliente;
  • Aumentar o faturamento com a venda de refeições e lanches;
  • Produzir as refeições por demanda e na quantidade certa;
  • Aumentar a satisfação dos consumidores pela qualidade e segurança alimentar;
  • Produzir as refeições por demanda e na quantidade certa;
  • Redução do desperdício de comida;
  • Aplicar as regras sanitárias;
  • Diminuição do contato pessoal e das filas;
  • Evitar que a comida esfrie;
  • Cálculo exato da quantidade de comida disponível;
  • Escolha detalhada do que o cliente quer comer;
  • Variedade nos tipos de refeição;
  • Opção de levar uma refeição pronta para a casa (To Go).

E muito mais!

Quais as dificuldades que você, empreendedor de restaurantes corporativos, têm encontrado no seu ramo? O que achou das soluções por nós apresentadas? Faça seu comentário! Desta forma você nos ajudará a melhorar e a auxiliar ainda mais o ramo de food service. Até a próxima =)

Quer saber mais sobre nossas soluções?
Converse agora com um dos nossos consultores e tire todas as suas dúvidas.